20170418

Boeing ajuda a testar software que facilita e torna mais segura a aterrissagem em porta-aviões

 É grande a probabilidade de que você nunca tenha pilotado um caça na vida. Mesmo se esse for o seu caso, é ainda mais improvável que você já tenha sido forçado a pousar em um porta-aviões. Fosse essa a sua realidade, então você saberia que a enorme quantidade de variáveis envolvidas nesse procedimento é o suficiente para deixar qualquer piloto com níveis de estresse maiores do que os sofridos por tropas de infantaria durante combate real.


Agora, pilotos de caças dos modelos F/A-18E/F Super Hornet e EA-18G Growler estão praticando pousos no porta-aviões USS Washington com o apoio de um sistema que torna todo o procedimento extremamente mais fácil. A novidade se chama Orientação Marítima Aumentada com Controles Integrados para Tecnologias Habilitadores de Aproximação de Porta-Aviões e Recuperação de Precisão, expressão que certamente foi escolhida porque, no idioma inglês, forma a sigla MAGIC CARPET (“Tapete Mágico”).


O sistema permite que o piloto se concentre apenas na tarefa de determinar o trajeto que o caça fará durante o pouso, assumindo o comando de todos os outros cálculos e adaptações que possam surgir por conta das mais sutis variações causadas por ventos, movimento da embarcação e outros fatores. Consequentemente, a novidade aumenta bastante a segurança e a eficiência do procedimento para os pilotos, que ainda estão no controle, mas têm bem menos preocupações.

 “-Todos os resultados mostraram benefícios, com redução de dispersão de aterragem [diferença entre o ponto real e o ideal de contato da nave com o solo] de mais de 50% quando comparados com as técnicas de controle de pouso atuais”, afirmou o engenheiro-sênior de aeromecânica do Comando de Sistemas Aéreos Navais (NAVAIR, na sigla em inglês). Na prática, isso significa que os pilotos conseguem pousar bem mais perto de onde realmente queriam.
O sistema reduziu o desvio de pouso em mais de 50% em todas as tentativas


A expectativa original era que a novidade fosse lançada oficialmente em 2019, mas os resultados nos testes foram tão positivos que a NAVAIR recebeu ordens de entregar o sistema já como está antes disso. Isso significa que nem todas as funções que deveriam estar incluídas na versão final estarão prontas, mas isso também permitirá que o “Tapete Mágico”, renomeado para Modo de Pouso com Precisão (PLM, na sigla no idioma original), receba sugestões de melhorias dos próprios pilotos.


Post (298) - Abril de 2017 (85.210)

Nenhum comentário:

Postar um comentário