20150406

Será assim o futuro dos aviões, em forma de baleia?

As aeronaves tornaram-se cada vez maior, em um esforço para aumentar o número de passageiros e reduzir o custo dos bilhetes. Um novo design descomunal poderia mudar a nossa forma de voar?

A Airbus A380 ainda provoca uma grande entusiasmo em um aeroporto. O gigante avião de dois andares pode acomodar entre 500 e 850 pessoas, dependendo de quanto espaço é dado à classe econômica e quanto espaço extra é deixado para as pernas dos passageiros da primeira classe. É um gigante da aviação, é a maior aeronave de transporte de passageiros a voar pelos céus. Mas o A380 pode se tornar pequeno se outro, de design mais descomunal vir a se elevar aos céus.

O Sky Whale AWWA  é uma aeronave conceito do designer espanhol Oscar Vinals. Com três andares para passageiros, parece um cruzamento entre uma baleia e um ônibus espacial da ficção científica. Será que este enorme projeto prenuncia o futuro das viagens aéreas?


No alvorecer da era dos grandes jatos vieram os Boeing 707, uma aeronave capaz de transportar mais passageiros e mais rápido do que qualquer outro existente. Nas décadas seguintes, os aviões têm crescido cada vez mais. O advento dos projetos "Jumbo", caracterizados por Boeing 747, significou mais passageiros por voo, e, portanto, assentos mais baratos.

Segundo Vinals:

“Viajar no Whale Sky poderá ser como uma viagem em sua ‘cadeira de teatro, desfrutando do que acontece ao seu redor, ouvido um leve ruído do fluxo de ar e sentindo-se seguro dentro de uma estrutura grande e inteligente”
“O projeto deverá usar tecnologias avançadas, como as asas girando para permitir que os motores em uma posição quase vertical permitiriam decolagens curtas. Os motores elétricos seriam alimentados por turbinas no interior das asas, como um poderoso dínamo de alto desempenho.“
“O desenho também exigiria um sistema de fluxo de ar redirecionado para a admissão dos motores e para o controle do fluxo laminar.”
"Eu fiz isso porque eu sou um entusiasta de desenvolvimento e da evolução da tecnologia aeroespacial e de aviação, para as quais eu gostaria de contribuir.”

Talvez essa visão de alguém fora da indústria aeroespacial, sem preconceitos, é o que é falta para revolucionar o design de aviões.  É de onde esses conceitos vêm. É desafiar as pessoas através de suas imaginações. É a oportunidade da comunidade da engenharia, quer dizer: isso é uma boa idéia, vamos tentar fazer isso acontecer.
Há três fatores a considerar ao avaliar o projeto de uma aeronave, conhecidos como a Equação Berguet Gama (*).  Esta pode ser usada como uma estimativa da eficiência. O projeto que limitaria a turbulência em torno das asas, diminuindo assim o arrasto. São eles:

- A eficiência da propulsão (Quão eficiente são seus motores?),
- A eficiência aerodinâmica (Elevador é maximizada e arraste minimizado?) e
- A eficiência estrutural (Quanto de carga pode carregar?).

Geralmente as companhias aéreas querem voar, tanto quanto possível, com a maior carga possível, ao mesmo tempo usando o mínimo de combustível. Se você pode maximizar isto, você tecnicamente tem o melhor projeto. 

"A Boeing e Airbus tem um monte de experiência de construção de aeronaves que se parecem com um tubo provido de asas. A fuselagem cilindra é uma forma estruturalmente eficiente para a pressurização do ar quando se esta voando a grande altitude. A fuselagem de um grande avião é um vaso de pressão. Precisa-se de uma secção transversal circular para que isto aconteça. Você não vê tanques de mergulho de seção retangular, eles são cilíndricos, é claro. Olhar a maneira que são feitas as aeronaves, não é por causas estilísticas, mas inteiramente por razões técnicas. A forma segue a função,” diz Mark Drela, professor do departamento de aeronáutica e astronáutica no MIT. 

“Por essa razão, duvida-se da viabilidade de projetos como este, são mais um conceito estilístico. Além do mais, para um fabricante ser capaz de vender uma aeronave nova, tem de demonstrar que é segura. Os regulamentos de segurança têm evoluído ao longo do século, mas para um design radical deste tipo seria muito mais difícil de demonstrar a segurança,” conclui Drela.

Para terminar Vinals diz: “Albert Einstein pode ter a última palavra sobre este assunto - A sua imaginação é a sua prévia das próximas atrações da vida".

 (*) Esta equação não é para nós podres mortais, mas se alguém se interessar, aqui vai o link:



Post (042)

Nenhum comentário:

Postar um comentário